Review: PAYDAY 2

Payday 2 é um jogo de ação em primeira pessoa em que você incorpora um criminoso e tem que ganhar a vida fazendo “trabalhos” que envolvem assaltos e outras coisas ilegais. É um jogo para até 4 jogadores, para se jogado através da internet, e está disponível para PC, Xbox 360 e Playstation 3.

Arrume seu terno de marca, aquele que qualquer criminoso de respeito deve usar, sua máscara, seu arsenal e prepare-se para fazer uma grana preta assaltando bancos, joalherias e carros fortes!

FICHA TÉCNICA

Gênero: Tiro em Primeira Pessoa
Desenvolvido por: Overkill
Publicado por: 505 Games
Cooperativo: 4 jogadores online
Disponível em: Pc, Xbox 360 e Playstation 3
Requisitos Mínimos
Processador: Intel Dual Core 2 GHz ou Equivalente
Memória: 2 GB
Vídeo: GeForce 8800 GT/ ATI Radeon HD 2600
Direct X: 9.0c

 

ENREDO E HISTÓRIA

PAYDAY 2 é um jogo focado no gameplay, onde a história acaba ficando em segundo plano. Mas isso não quer dizer que não exista uma ambientação bacana para dar respaldo a jogabilidade frenética.

PAYDAY 2 trailer

Vi vários trailers, mas esse antigo é o que faz mais jus a ação que você encontrará no game

Basicamente o jogador pode optar por fazer um pequeno tutorial quando começa a jogar. Você é um criminoso recém chegado na cidade e vai conhecer sua Safehouse. Um dos seus contatos do jogo fala com você por telefone, e te mostra seu esconderijo subterrâneo que fica embaixo de uma nada suspeita lavanderia. Ele te dá um par de armamentos iniciais (Pistola e Rifle de assalto), uma mascara, e uma graninha inicial pra você começar.

Depois disso você pode na sua Safehouse treinar tiro ao alvo, descobrir como se arromba portas, e ver seu cofre particular de grana que de início está vazio.

Se você quer ver o cofre da sua safehouse cheio, é melhor fazer uma visita aos cofres de outros bancos antes…

A partir daí você tem acesso a sua “Crime.net” que é uma rede de agenciamento de “trabalhos” (ou como o jogo chama: Heists) onde você escolhe essas missões e se junta a outros criminosos, o que é basicamente um Lobby do Multiplayer, mas que pode ser jogado offline também com os bots.

Existem alguns contatos no jogo, o maior deles é Bain, é ele que te dá missões como assalto a bancos. Vlad é o Ucraniano maluco que cobra proteção e te faz atacar lojas e boates pra expandir a influencia dele. “The elephant” é um político obscuro que te dá missões complexas de desfecho político (como por exemplo, incriminar um congressista da oposição) e finalmente Hector, o narcotraficante sul americano genérico que lida com trafico de armas e drogas e vez em quando te obriga a cozinhar meta anfetamina.

A história se resume aos briefings das missões e dos diálogos dentro do jogo, que são até bem pensadas e harmoniosas para te colocar no clima. Basicamente a história vai acontecendo no decorrer das missões.

O briefing é uma introdução rápida aos objetivos da missão e os recursos. Ele ajuda você a entrar no clima.

Existem missões simples do tipo “Roube o máximo que puder do banco” a mais complexas do tipo “Roube pinturas de um museu para um político, faça a troca das pinturas por grana, fuja com a grana da polícia e entre na casa de um político rival para roubar informações do seu servidor para incriminá-lo”.

Resumindo, cada missão é uma história ou cenário por sí só.

Só para concluir esse assunto, existe algo a mais. A Overkill produziu junto ao lançamento do jogo uma Web Series para apresentar os personagens e contar um pouco da trama conspiratória por trás da “CrimeNet”. Alguns episódios são bem legais e te dão uma visão mais intensa sobre os personagens e suas motivações, portanto são dignos de nota. Segue a playlist dos videos em inglês. Com alguma sorte você acha em português.

Payday 2 Web Series Teaser Trailer

 

JOGABILIDADE

Payday 2 tem uma jogabilidade bem intensa. Você se une a outros jogadores online do mundo todo para cumprir contratos com dificuldade randômica que aparecem aleatoriamente na Crime.net, ou você mesmo pode “comprar” um contrato e jogar uma missão à sua escolha, na dificuldade que você quiser, sem ter que esperar o contrato brotar na tela.

O Lobby da CrimeNet é atualizado segundo a segundo com novas missões. Sempre tem uma sessão online pra entrar.

Esperar um contrato “brotar” na tela não é tão demorado. Você pode filtrar os contratos que aparecem maximizando a chance dele aparecer, mas isso as vezes pode demorar 2 ou 3 minutos, e nem todo mundo quer esperar isso.

A jogabilidade é de um shooter tradicional, movimenta-se como em qualquer outro shooter, e é possível customizar todas as teclas. Na mecânica de tiro, apesar de ser uma engine que lembra muito “Left 4 dead 2″, é possível mirar pela mira da arma com o botão direito para mais precisão. Não existe “cross hair”, aquela mira no centro da tela para atirar sem o botão direito, te forçando a usar a mira com mais precisão, e tornando os tiros de “hip fire” mais difíceis.

Depois que você pega uma mira boa pra sua arma, tudo fica mais fácil…

Durante as partidas os jogadores podem entrar a qualquer momento. A unica coisa que é “incômoda” é que quando alguém entra o jogo pausa e aparece “fulano está entrando x%” e só some quando o servidor terminou de receber todos os dados do cliente. Se o jogador entrando tiver uma conexão meio ruim com o jogador host, isso pode levar uns 30 segundos ou até 1 minuto (em casos extremos terríveis de lag) que quebra um pouco o ritmo do jogo mas não prejudica em nada. Com uma conexão normal isso não demora nem 10 segundos.

É possível Kickar um jogador (se você previamente escolheu essa opção quando começou o contrato) a qualquer momento se você for o host. Se você não ativou essa opção quando começou o contrato, então não poderá kickar ninguém. Isso é legal que se você escolher uma missão com o filtro “Kick disabled” mesmo se você estiver meio lagadinho ou for muito noob, não poderá ser Kickado por jogadores intolerantes.

O jogo possui chat de voz embutido ou chat escrito. O chat de voz é ativado por um botão customizável e funciona pelo Steam mesmo ( Igual left 4 dead 2).

Com vocês Obama, Clinton, Bush Pai e… Vladmir Putin? (Acreditem, isso não foi combinado!)

É possível jogar online com bots também. É uma opção que você customiza na hora que o servidor pega o contrato. É possível começar a missão com menos jogadores e um bot assumir o lugar, e o jogador pode entrar depois por drop-in.

Durante o lobby, é possível comprar “assets” (recursos) que te dão alguma informação ou bônus pela duração da fase (como por exemplo, um motorista de fuga que chega mais rápido, um medikit ou sacola de munição escondido em algum lugar, e é claro o mapa da fase).

Os “assests” são uma adição útil, porém dispensável. É muito menos usado do que deveria pelos players.

Os tiroteios no geral são o ponto forte. As armas parecem realistas, causam impacto nos inimigos, tem animações legais e os tiroteios exigem que você esteja o tempo todo se movimentando pra escapar dos tiros dos inimigos ou procurando cobertura.

A inteligência artificial dos inimigos não é a melhor que eu já vi, mas é muito boa. Os policiais se escondem atrás de objetos, se jogam no chão para escapar de tiros, mas é comum também avançarem loucamente sem cobertura apenas esperando serem alvejados. Se tratando de um jogo onde HORDAS de policiais invadem o local em que você está, não seria tão divertido se a policia ou SWAT ficasse só escondida atrás dos carros atirando em você, eles precisam avançar e invadir pra manter o jogo frenético. A mira dos inimigos é muito boa, então só sair correndo não garante que a polícia errará os tiros, você precisa também procurar cobertura, pois quem não se movimenta morre muito rápido.

Em contrapartida, um ponto digno de nota é a inteligência artificial dos seus parceiros BOTS. Tendo em mente que esse é um jogo para se jogar ONLINE, É extremamente frustrante jogar offline. Os bots pouco te ajudam, as vezes impossibilitando completar uma missão. Eles não carregam sacolas, não colocam furadeiras, não arrombam portas, e não há nada que você possa fazer pra resolver isso. É você sozinho com 3 guarda-costas desmiolados que só servem pra atirar. Mas tem um ponto positivo sim, eles não dão trabalho. Dificilmente você verá eles mortos ou capturados. Até da pra encarar uma missão complicada com 1 player real e os outros 2 players de BOTS, mas você sozinho fica difícil.

Carregar e arremessar sacolas é uma parte importante do game… se for jogar só com os bots, prepare-se para fazer isso sozinho

Existem inimigos “especiais” que são bem durões. Snipers (que ficam em cima de prédios) e você consegue ver onde estão mirando com as suas mira-lasers, Shields que são policiais com escudos balísticos praticamente invulneráveis de frente, Tasers que são policiais com proteção balística alta e que deixam você “chocado” sem poder se mexer e perdendo vida e atirando pro ar até alguém derrubá-lo, e os Bulldozers, policiais com armaduras violentas que são praticamente invulneráveis e cujo unico ponto fraco (mais ainda difícil de derrubar) é atirando na cabeça e destruindo seu capacete balístico pra finaliza-lo com headshot.

O jogo traz 4 classes, e as classes possuem cada um um gameplay único. Cada uma prestando um papel específico:

  • Mastermind: Especializado em controle de reféns e engenharia social, esse cara  carrega mais “algemas” para prender os reféns, pode fazer um refém ajudá-lo (altíssimo carisma), pode fingir melhor a voz e portanto responder mais de 2 rádios de segurança, pode intimidar policiais inimigos no grito e até mesmo converter um inimigo pra lutar do seu lado. Também é a classe que libera “assets”. Suas skills melhoram bastante o uso de pistolas e revolveres e também pode carregar medkits com durabilidade limitada para curar os amigos, e o mastermind pode reviver os parceiros mais rápido que as outras classes.
  • Enforcer: É o bruto do grupo, pode usar uma armadura pesada, tem bônus usando Shotguns, pode carregar sacolas pesadas (de ouro por exemplo) com mais facilidade e arremessá-las mais longe. Pode carregar uma serra circular excelente para arrombar caixas eletrônicos e algumas trancas. Ele também carrega uma sacola de munições limitada que permite que os personagens recarreguem seus estoques. É a classe mais ofensiva e sua habilidade de carregar peso é essencial para assaltos em que você precisa mover muitas sacolas de dinheiro/joias/ouro/drogas/armas em pouco tempo.
  • Technician: É o cara especializado em tecnologia. Tem habilidades que melhora sua perícia com Assault rifles e melhora o zoom, sendo o melhor personagem para se jogar no estilo “Sniper”. Ele carrega “trip mines” que são minas ativadas por um sensor que podem ser colocadas em qualquer superfície. Posteriormente ele pode dar upgrade em suas minas para virar C4 e destruir cofres, caixas eletrônicos e portas. Ele tem habilidades que melhoram a efetividade da furadeira (utilizada para abrir cofres e portas) e tornam ela mais silenciosa. Também pode ao invés de carregas as minas, carregar uma maleta com uma “turret” portátil que atira nos inimigos que além de servir de distração faz um tremendo estrago em níveis mais altos.
  • Ghost: É o fantasma do grupo, especializado em abordagens furtivas. Ele carrega um “Jammer” que inicialmente não é tão útil, apenas desativando câmeras e impedindo que reféns chamem a policia pelo celular. Posteriormente esse “jammer” pode ser usado pra arrombar trancas eletrônicas que precisam de um Keycard para abrir. Além disso, ele tem habilidades que tornam ele mais rápido e mais efetivo com armas silenciadas e Submachine guns, e diminui a chance dele ser alvo dos inimigos. Além disso ele é mais ligeiro para empacotar dinheiro e todo item de valor que ele recolhe ele consegue “espremer” uma graninha extra.

Você irá escolher qual delas se enquadra melhor no seu estilo de jogo, e dar ênfase em upar skills de apenas uma delas, já que upar várias árvores te faria um generalista sem liberar as melhores e mais úteis habilidades de cada classe. Nada disso impede no entanto você comprar skills de várias classes, o que te dá alguma versatilidade mas pode te impedir de comprar as skills do topo da árvore.

Dentro das fases é possível buscar a abordagem “furtiva” (Stealth) ou simplesmente meter o pé na porta e fazer a casa cair. O Stealth normalmente só funciona até o momento que você chega no objetivo principal (dinheiro, armas ou drogas) pois a polícia sempre dá um jeito de aparecer pra tentar por fim na sua festa. O que acontece é que começar a fase furtivamente permite que você faça a maior parte sem a interferência da polícia, e com isso você pode coletar mais grana. Mas em contrapartida exige habilidade do time pra não alerta-la antes da hora.

Dando um rolê no Shopping com os amigues preparando prum baile de máscaras…

 

MECÂNICAS DE JOGO E SISTEMA DE PROGRESSÃO

Quando você completa um contrato com sucesso, você ganha uma grana para sua “Offshore account” que é uma conta protegida em outro país, que só serve para você comprar contratos no Lobby, e só uma parte dessa grana vai pro seu bolso de fato, que você usa pra comprar skills, armas e mods, que chamam de “spending cash” (dinheiro gastável).

Além de grana, você também ganha experiência para subir de nível. A cada nível conquistado você ganha pontos de habilidades para comprar skills.

Além da grana e das skills, você também é premiado aleatoriamente com: Máscaras customizáveis, cores para as máscaras, texturas para as máscaras, dinheiro extra, experiência extra, e Mods para armas.

Existem 4 personagens no jogo que você pode jogar, e você pode escolher qual será seu avatar preferencial. No fim das contas não faz muita diferença qual será seu avatar.

Existem também 4 especializações no jogo de skills como citado acima. Essas habilidades você libera conforme sobe de nível, escolhendo qual Skill Tree pretende se especializar. Para comprar essas habilidades, além do ponto de skill, você precisa gastar uma grana do “spending cash”.

O seu nível (Reputação) vai liberar acesso para comprar novas armas. Uma mais superfaturada que a outra. Inflação mandou lembranças.

O jogo oferece até o momento 100 níveis. Não será possível se especializar em todas as arvores de Skill de todas as classes, portanto você precisa escolher uma que mais se adequa ao seu estilo de jogo e se focar naquilo. Se você enjoar, pode dar “respec” nas skills. Você receberá de volta todos os pontos gastos, mas apenas metade do dinheiro que você investiu aprendendo elas.

Uma vez que você tem o dinheiro, você precisa de equipamentos. As armas são liberadas de acordo com seu nível, e custam valores exorbitantes (altamente inflacionadas!). Todas as armas liberadas (exceto as iniciais) tem um ponto positivo ou negativo e são boas em determinados contextos. Algumas dão um bom dano mas permitem que você carregue pouca munição, ou são muito chamativas e impossíveis de esconder no modo furtivo. Ou simplesmente não aceitam muitas modificações.

No fim das contas, o que define qual é a melhor arma são os mods que você possui pra ela, e nesse jogo você não pode escolher quais mods comprar logo de cara. Isso mesmo, para poder equipar uma “mira laser” em sua arma, primeiro você precisa ter a sorte de ganhar esses mods no sorteio no fim de cada missão. Uma vez que você tem esse mod, aí sim você pode comprá-lo e ele irá para seu inventário e você poderá usa-lo em todas as armas que são compatíveis. Adquirir mods para as armas é um pouco demorado e exige um pouco de sorte também, mas bons mods podem fazer a diferença.

Os mods são uma adição excelente, as não podem ser simplesmente comprados. É necessário um pouco de sorte pra dropar aquele mod que você tanto quer para sua arma favorita, e não um mod aleatório para outra arma.

Uma vez que você tem armas, mods e skills novas, pode tentar fazer os trabalhos em dificuldades maiores. Existem 3 dificuldades extras: HARD, EXTRA HARD e OVERKILL. Cada uma delas aumenta a dificuldade dos inimigos, mas também dão grandes bônus de XP e grana, mas são altamente desafiadoras. Existe ainda uma opção extra: “Pro Jobs”, que basicamente significa que se você falhar aquela missão, você não poderá tentar ela novamente. No modo tradicional se uma etapa da missão falha, você pode dar “Retry” e tentar aquela etapa novamente até conseguir sucesso.

 

SOM E TRILHA SONORA

A trilha do jogo é completamente eletrônica. E por mais que eu não seja amante do gênero, posso dizer que ficou muito boa! Quando você está em modo furtivo a musica é bem tranquila, quase nula. Quando você é detectado a musica muda pruma espécie de Dubstep para aumentar a tensão. Quando a polícia está prestes a invadir a musica começa com um crescendo por uns 10 segundos e chega no ápice. Quando a policia entra, a musica vira um batidão frenético que te faz quase pular da cadeira: Algo extremamente cinematográfico e bem pensado! Várias vezes já vi jogadores mexendo seus personagens no ritmo da musica obviamente numa tentativa de “dançar” o ritmo que pode ser bem contagiante.

 DJ Darkness IN THE HOUSE BITCHEZ!! TUNTS TUNTS TUNTS!

O barulho das armas são bacanas, são realistas, e não são muito repetitivas. As vozes dos personagens também adicionam algo a mais no jogo. Os personagens gritam quando vêem inimigos especiais ou derrotam um deles, quando você manda os refém deitarem no chão cada um fala do seu jeito (uns mais ignorantes outros mais tranquilos) e é claro, quando uma das suas furadeiras falha muitas vezes os personagens também fazem comentários variados: “Essa furadeira é ridícula!” ou “Essa é a pior furadeira que eu já tive em toda minha vida!”.
Os inimigos não costumam falar muito, nem gritar muito, o que acho sinceramente que seria bem irritante considerando a quantidade deles que podem aparecer na sua frente de uma vez só. Somado com a trilha sonora frenética, você mal nota isso.

REJOGABILIDADE

Payday 2 é um desses jogos que você quer jogar mais e mais pela experiência de sempre fazer uma missão de maneira mais eficiente, limpa e rápida possível. Na ausência desse desejo, atirar em hordas de inimigos enquanto administra reféns e joga sacolas de dinheiro pela janela também é bem recompensador.
Você irá explodir cofres e arrombar caixas que tendem a mudar de lugar, e o loot que você encontra varia de acordo com a dificuldade e a sorte.
Você se verá fazendo as mesmas missões várias e várias vezes sem se cansar para ganhar XP, grana e Mods, e quando começar a se cansar mudará para outra e fará tudo de novo. Existe uma variedade de missões bacanas pra todos os gostos, e a promessa da Overkill software é lançar mais missões (algumas gratuitas e outras por DLC) para agradar todo mundo.
E quando você enjoar de jogar um estilo de jogo, basta dar reset nas suas skills e evoluir uma nova árvore de talentos, que a experiência de jogo pode ser completamente diferente jogada por outra classe.

 

DOWNLOADABLE CONTENT (DLC)

Até o momento só foram lançados 2 DLC’s para o jogo: Armored Transport e Gage Weapon pack.

Armored Transport adiciona algumas missões de roubo a carros forte e algumas armas e máscaras novas.

O Gage Weapon Pack foi lançada esta semana, e traz armas novas (um fuzil, submetralhadora e pistola), máscaras novas (panda, bode, águia, etc), novos mods de armas (alguns que mudam modo de tiro da arma de full auto pra single shot, etc) e adiciona Granadas para o personagem usar.

Lembrando que sempre que lançam o DLC, os jogadores do jogo básico também ganham algumas coisinhas novas como “consolação”, então isso mostra a boa postura da Overkill Software com sua comunidade. No caso do Armored Transport, jogadores ganharam uma fase nova (Diamond heist), e no Gaige Weapon Pack, todos podem escolher o modo de tiro da arma e usar granadas (só que aqueles sem o DLC só podem pegar granadas dentro da fase, começar com elas só quem tem o DLC).

Os DLC atuais não desapontam, mas também não são super cerejinhas no topo do sorvete de chocolate que é o jogo…

A Overkill ainda disse nos fóruns que ainda estão finalizando pelo menos mais 4 expansões que devem sair nos próximos meses trazendo novas armas, missões e recursos.

Eu tenho achado o preço um pocuo salgadinho dos DLC, o Armored transport custando R$ 12,99 reais, e o Gaige weapon pack R$ 8,49. Minha opinião é que se estão sem grana, esperem uma promo do steam pra comprar eles com desconto.

 

COOPERATIVO!

Payday 2 é um jogo feito pensado para ser jogado em Co-op. Ponto final. Se você jogar com bots somente, vai se frustrar e sair falando mal do jogo. Não faça isso!

Seja atirando na SWAT, fazendo reféns, arrombando cofres ou fazendo uma fila indiana para arremessar sacolas de dinheiro com mais rapidez, o esforço coletivo entre os jogadores é sempre recompensado. Não existe nenhum momento que você acha que pode dar conta de tudo sozinho, e isso é a base para um Gameplay cooperativo divertido.

As habilidades de classe adicionam uma dimensão especial ao jogo, ter um time com habilidades mistas é sempre bom, então se for jogar com os amigos é legal convencer cada um a escolher uma especialização diferente, que vai tornar tudo mais divertido!

Com um lobby fácil de encontrar pessoas para jogar, você só vai jogar sozinho se quiser. Além do mais, com as opções de filtro por região, é muito fácil encontrar partidas só com players brasileiros.

Preparando para a invasão da SWAT com players brasucas aleatórios depois de depredar e roubar um shopping

Até o momento, pelo que vejo a comunidade se mostrou muito tranquila. Em mais de 20 horas de jogo só vi uma vez um gringo reclamando da cagada de outro jogador que acabou com o Stealth da missão. Fora isso as pessoas até que são compreensivas e dispostas a explicar o jogo para novatos. Já que não rola competição entre os players, as pessoas acabam ficando mais abertas e compreensivas.

Logo, com uma comunidade que coopera, o clima de jogo é mais tranquilo. É o único título que tenho no STEAM até hoje que está me fazendo adicionar pessoas na lista de amigos após uma experiência de jogo bacana.

 

VEREDITO

Payday 2 é um fantástico jogo, e estou muito feliz e satisfeito com o que tenho experimentado até agora. Com 20 horas de gameplay acabo de liberar as habilidades mais complexas da minha especialização, mas ainda estou longe de chegar no nível máximo.

E nessas 20 horas de jogo, não teve nenhum ponto que senti-me enjoado ou cansado com a mecânica e jogabilidade. Simplesmente uma fase, mesmo repetida, não consegue acontecer igual a outra graças aos elementos gerados proceduralmente e a variação de competência dos jogadores participando da sessão, assim como as classes que eles estão jogando no momento.

Contando os dias com alguma antecipação para o lançamento de novos DLC’s …

A expectativa agora pro futuro é em cima dos futuros DLC’s, que até esse ponto são adições bem vindas, mas carecem daquele “algo a mais”. Minha perspectiva é que aumentem cada vez mais a gama de missões que o jogador pode cumprir e adicionem novos recursos, como as granadas e o lance de mudar modo de tiro do ultimo DLC.

A Overkill acertou em cheio o equilíbrio entre jogabilidade, ação, progressão e cooperação no segundo título da série. O suficiente pra enquadrar Payday 2 entre os meus jogos Cooperativos favoritos de 2013!


Modafoca Tags: analise, co-op, coop, cooperativo, falar o nome desse jogo em público é constrangedor, jogar com amigos, payday, payday 2, review
Sr. Musadriffpor Sr. Musadriff

Musadriff é Editor, Escritor, Gamer, Modelo da Capricho, trabalhou como jornalista de cobertura em conflitos armados no oriente médio, Gosta de Cheetos Queijo Parmesão e Nutella, escreve para esse blog apaixonadamente sobre Jogos Cooperativos e o mundo dos Games quando não está ralando no trabalho ou tentando terminar a segunda faculdade.

  • rui

    pessoal eu tento jogar online mas aparece que tenho de me manter ligado….quero jogar online mas nao sei como ajudem se nao o jogo fica chato

  • PoePra2

    Nunca vi esse erro cara, você está jogando pelo Steam? Porque o jogo só joga online que eu saiba pela versão Steam…

  • t_nasser@outlook.com

    veja a conecxao com a sua internet e com a steam